Retorno de Óleo para o compressor em um sistema frigorífico

Em um ciclo de refrigeração, o óleo tem a função de lubrificar as partes móveis do compressor, garantindo o seu bom funcionamento. Porém, como estas partes móveis também entram em contato com o fluido refrigerante, é natural que este óleo percorra toda a tubulação do sistema, junto com o fluido. O importante é que esse óleo retorne ao compressor pela sucção, ou seja, como se fosse parte do fluido.

A função do Separador é segurar o excesso de óleo que sai do compressor, para retorná-lo na sucção ou no seu cárter (dependendo do modelo). Com isso, o sistema pode operar com uma quantidade menor de óleo, pois somente uma pequena parcela irá percorrer todo o ciclo.

O separador de óleo normalmente não é utilizado em sistemas de pequeno porte, com tubulações curtas. Já que a quantidade de óleo que irá percorrer o ciclo é pequena, o investimento neste componente acaba sendo desnecessário.

Para garantir o retorno de óleo pelo ciclo, deve-se atentar a alguns detalhes da tubulação:

1. Instalação de sifão na descarga do evaporador (linha de sucção):
Quando o sistema é desligado (para degelo ou pump down) o óleo tende a escoar para o fundo da tubulação, podendo inundar parte do evaporador caso não haja um sifão na sua tubulação de saída.
Quando o sistema retoma seu funcionamento, parte da serpentina permanece inundada, prejudicando o seu funcionamento.

Retorno de Óleo - Figura012. Instalação de sifão em linhas de sucção ascendentes

Caso o evaporador esteja em um nível mais baixo que o compressor, deve-se instalar um sifão a cada 4m de altura. Isso cria uma “escada” para o óleo, facilitando o seu retorno para o compressor e evitando que o óleo inunde o evaporador em uma parada.

 

Retorno de Óleo - Figura02

3. Garantir velocidades de escoamento adequadas (recomendações da ASHRAE)

Na linha de sucção a velocidade de escoamento do fluido deve estar entre 4,5 e 20 m/s.

Na linha de descarga, a velocidade de escoamento do fluido deve estar entre 10 e 18 m/s.

Se a velocidade do escoamento estiver mais baixa que os limites recomendados, deve-se instalar uma Redução de diâmetro na tubulação (isso normalmente ocorre em linhas ascendentes ou linhas muito extensas).

Velocidades de escoamento mais altas ajudam a “empurrar” o óleo pela tubulação.

 

4. Evitar instalar Reduções antes de sifões

Isso retém o óleo antes do sifão.

 

Retorno de Óleo - Figura03

 

Estas são recomendações que devem ser aplicadas nas tubulações de um sistema, porém, outros fatores também influenciam o retorno de óleo para o compressor.

 

  1. Condições dos filtros se líquido e de sucção.

Filtros muito sujos podem reter parte do óleo. É importante verificar os filtros e substituí-los, caso não estejam em condições adequadas.

  1. Condições do Separador de Óleo

Se a tubulação de retorno de óleo estiver entupida por alguma impureza no sistema, o óleo terá dificuldade para retornar. É importante verificar se o separador está operando corretamente.

  1. Carga de refrigerante no sistema

Um sistema com pouco refrigerante tem dificuldade para arrastar o óleo pelas tubulações. Deve-se sempre verificar se a carga está adequada e se não há nenhum vazamento no sistema.

 

assinatura-resfriando1